luke-porter-203637

Como o WhatsApp pode ajudar o seu negócio

Facebook Comments
postFace_CustoSM

Quanto custa um serviço de Mídias Sociais?

Esta pergunta é feita por muitos, tantos os que querem contratar como os que oferecem o serviço.

É muito comum, como em qualquer área nova e não regulamentada que muitos se aventurem a oferecer o serviço e aí vemos grandes disparidades de valores. Pensando em dar uma visão geral aqui sobre o assunto falo sobre isso neste post.

Primeiro, não existe um valor padrão que se encaixe em qualquer situação. Temos que entender que alguns tipos de mercados, regiões geográficas, responsabilidades da conta, atribuições, tudo isso criam variáveis que podem transformar os valores significativamente.

Tentarei levantar aqui alguns pontos que são importantes entendermos antes de qualquer coisa.

O que é o serviço de Gestão de Mídias Sociais?

Quando fui presidente da ABRADI-RN, tivemos várias discussões sobre isso, e sempre era algo diferente o entendimento de cada agência, até que se chegasse a um consenso. Estou colocando aqui o meu pensamento sobre o que é a entrega adequada de um serviço de Gestão Mídias Sociais.

Atribuições

Produção de Conteúdo. Sim, esta é a base. Qualquer profissional que vai trabalhar com as mídias sociais de um cliente irá produzir conteúdos para ele. Estes conteúdos são basicamente produção textual e imagens (estáticas ou animadas). Vídeos geralmente são colocados como um serviço a parte, mas se incluir isso já será um diferencial, pois vídeo tem uma produção mais cara e demorada também. Ir ao local tirar fotos profissionais também poderá ser cobrado a parte.

Mas, qual a quantidade de conteúdos produzidos? E, para quantas mídias sociais? Este é outro ponto que gera grande discussão. Algumas marcas de porte nacional não fazem postagens diárias, mas recomendo que o faça, enquanto sendo uma marca local. Desta forma, vamos considerar que o padrão é você produzir um conteúdo por dia.

O número de mídias sociais influencia? Claro que sim. Veremos mais a baixo que faz toda a diferença, logo, o seu serviço poderá ser mensurado pelo esforço de trabalho para cada mídia social em que irá atuar. Mas via de regra, a maior parte das Mídias Sociais hoje, você terá um trabalho de produção textual e de imagens. Mas, cada conteúdo no seu lugar. O texto para Twitter é diferente para Facebook (pelo menos deve ser), como é diferente para o Instagram, e apenas para não esticar esta discussão, avalie o comportamento, são totalmente diferentes, a forma de ler e receber um conteúdo é diferente, usar exatamente o mesmo texto e a mesma imagem é perder muitas oportunidades. Desta forma, vamos considerar que cada rede utilizará um conteúdo diferente, será a mesma estória, mas contada de forma diferente.

Interação. Sim, responder, interagir e atender a audiência do canal faz parte do trabalho também, daí a necessidade de se estudar bem o produto, o público e o serviço do cliente. Em alguns casos, a interação vai além da passividade, é preciso seguir as pessoas certas, interagir com elas, curtindo, comentando e prospectando, mas isso amigo, dá trabalho, bastante trabalho e pelo que tenho visto, alguns ou não fazem ou automatizam as interações, ambas eu desaconselho. Então vamos considerar também que no serviço de Gestão de Mídias Sociais, você vai responder dúvidas, perguntas dos clientes, seguir, curtir e comentar perfis interessantes para a marca contribuindo com a prospecção dela.

Monitoramento. Não confunda monitorar com fazer relatório. Monitorar é contínuo, é diário, é o tempo todo avaliar o que está acontecendo com o que foi produzido, quais as respostas a cada estímulo gerado com o conteúdo produzido. Se algo acontecer enquanto você não está de olho uma grande Crise pode acontecer e aí, pode ser tarde demais para a marca. Mesmo que você não entregue nada a seu cliente é importante compreender quem é o público que está interagindo com a marca, quais são os conteúdos que geram melhores resultados, avaliar qual a rede está sendo melhor para gerar os resultados esperados. Se não monitorar, como saber disso? Então, consideramos que Monitorar é parte integrante do trabalho.

Análise e Relatório. O que você produz, gerou alguma coisa, algum resultado, mesmo que não tenha gerado nada, este foi o resultado, nada. Entregar isso mensalmente (ou em períodos diferentes, dependendo do negócio) ao cliente, informando mais do que números, mas o que eles representam de fato justificando os novos caminhos que deverão serem traçados, faz parte do trabalho. Desta forma, precisamos compreender que o resultado do trabalho precisar ser avaliado e apresentado, bem como se justificar qualquer mudança de estratégia, com base nos resultados que se tem. E deixo claro aqui, entregar uma análise, para que não sejam apenas números extraídos automaticamente de uma ferramenta única.

Esforço de trabalho

Tempo. Agora que estabelecemos o que é o serviço, é preciso entender quanto de tempo ele demanda. E aqui é uma variável bem grande também. Clientes e clientes, áreas e áreas. Nem sempre você terá a produção de conteúdo da mesma forma para qualquer tipo de cliente, alguns você levará muito mais tempo para conseguir um post simples, outros te demandarão mais tempo interagindo, então isso pode variar bastante. Mas um fato é, para se fazer bem feito, é preciso dedicação, então vamos dar como base aqui que para produzir um post bom, com pesquisa, com entendimento, com uma imagem atraente e que você consiga também interagir com seus usuários durante o dia e resumindo tudo isso em horas, que você gaste no máximo 2h por dia, com cada cliente. Ok? Vamos partir deste pressuposto, desta forma, você conseguiria atender, sem muita dificuldade e com extrema qualidade 4 contas diferentes, certo?

Ferramentas. Existem diversas ferramentas que poderemos usar durante o nosso processo de trabalho, que também podem variar bastante conforme o nível de complexidade da conta, mas geralmente você vai trabalhar aí com editores de imagens (é uma assinatura mensal hoje em dia), ferramentas de publicação e agendamento, ferramentas de monitoramento e relatórios, automação, etc… tudo isso é custo confere? Então é preciso fazer parte do seu custo de trabalho com cada conta. Tenha isso em mente, some tudo e veja quando ficará para cada cliente que você atenderá.

Capacitação. O que torna o seu trabalho melhor do que o do seu colega? A sua experiência conta, sua habilidade, seus cursos e capacitações entram aqui e você precisa considerar que se já tem experiência, ainda mais se for em um ramo específico do cliente, isso fará uma diferencial para o trabalho entregue também. Considere isso para formatar o preço também. Assim como alguém que está contratando vai buscar por profissionais que já tenham algum conhecimento, logo a experiência sempre vai contar no processo de decisão também.

Formação do preço

Já vi diversos valores para o mesmo serviço, só para terem ideia, em uma mesma cidade já vi valores que vão de R$ 300,00 a mais de R$ 15.000,00. Pois é, difícil ter isso como parâmetro não é? Mas vamos lá tentar deixar mais claro.

Um valor comumente cobrado aqui em Natal/RN é o de R$ 600,00 para fazer 2 redes sociais… agora, analise tudo o que dissemos antes aí, como alguém terá como entregar algo com qualidade, nos moldes que dissemos aí por este valor? Sendo pelo menos 30 publicações, em 2 lugares diferentes, o custo por conteúdo ficaria em míseros R$ 10,00!!! Se alguém chegar para você e disser, ei, faz um arte para mim aí, te dou R$ 10,00, você faria?

Mas para deixar mais fácil de entender, vamos criar um exemplo aqui:

Ana Luísa é uma social media, ela quer trabalhar como freelancer, ela estudou bastante, se formou, até fez pós graduação na área, escreve bem e domina ferramentas gráficas para as necessidades de atuação de um social media. Vamos ver quanto Ana Luísa poderá cobrar pelos seus serviços:

Local de trabalho. Recomendo buscar um Cowroking, primeiro pela estrutura pronta tanto para trabalhar como para atender um cliente (não precisa ficar indo em padaria e café o tempo todo né?). Recomendo aqui o KKi Hub, com uma mensalidade generosa de R$ 139,00, já incluso o espaço, a internet e o Café (muito importante!!). Não preciso dizer que o Networking é muito importante certo?

Ferramentas. Coloquei aqui um pacote simples. Adobe Photoshop (R$ 35,00 mensal), Iconosquare (U$ 5,00 mensal por conta) e Instamizer (R$ 34,90 mensal até 5 perfis). Com este pacote básico aqui já é possível entregar tudo o que foi dito nas atribuições.

RecursoValorCusto por Cliente (considerando 4)
LocalR$ 139,00R$ 34,75
FerramentasR$ 137,90R$ 34,475

Esta seria uma amostra dos custos por cliente, por cima. Além disso vai entrar o custo por hora do trabalho de Ana Luísa, nossa personagem aqui para exemplificar. Se ela, com toda a sua qualificação trabalhar 2h por dia em cada cliente, fechando assim 8h de trabalho por dia, ela vai dedicar 40h mensais para cada cliente, pelo menos.

Se ela cobrar R$ 1.000,00 para fazer as mídias sociais de um cliente, tendo esta estrutura de custos para cada um, sua hora de trabalho terá custado R$ 25,00, mas não entraram aí nenhum dos custos que já mostrei e os que mostro a seguir.

Lembremos que os custos de trabalho não são apenas os exemplificados na tabela. Existem custos como Impostos, telefone/Internet para comunicação com os clientes, deslocamento para atender o mesmo, capturar material, etc… Então, considere ainda estes custos.

Resumindo

Vimos aqui, de forma bem simplificada quais as atribuições de um serviço, o tempo para se dedicar a uma conta com cuidado voltada para gerar resultados para ela, ao mesmo tempo que os custos e o trabalho são muito maiores do que imaginamos. Se tivermos um profissional cobrando, por cliente, R$ 1.500,00 para fazer um trabalho realmente bem feito, estará um valor equilibrado para todos os custos e etapas que o trabalho tem.

Mas é possível cobrar isso hoje? Não, não é possível quando estamos em um mercado que não entrega o que detalhamos aqui. Quando o mercado não tem a real percepção do que é o serviço, do que deve receber e do que ele deveria ter de resultados, realmente não teremos como ver estes valores (aqui em Natal pelo menos, em outras regiões do país isso não pagaria um post em alguns casos).

E qual é a saída? Educar o mercado e se capacitar continuamente para oferecer sempre os melhores resultados ao cliente. Se o seu trabalho fizer seu cliente ganhar mais dinheiro ele pagará sem sombra de dúvidas, mas se você, profissional de mídias sociais, for visto como custo, será o primeiro a ser trocado quando a conta não bater.

Bom, espero ter contribuído para uma reflexão mínima. Não tenho a intenção aqui de tabelar nada, até por que existem diversos níveis de profissionais no mercado. Mas é importante entender que se você não mostrar o valor do seu trabalho e entregar este valor ao cliente, mais ninguém o fará.

E se você quer ajuda para melhorar seus resultados, entra aqui que eu poderei te ajudar.

Sucesso.

Facebook Comments
5EstrategiasInstagram_Blog

5 Estratégias para aumentar seu engajamento no Instagram

Mais seguidores? Sim, muitos buscam isso, mas já percebeu aqueles perfis cheios de seguidores, mas quando você olha as curtidas… pois é… sem engajamento é como ter um multidão à frente e ninguém te dar bola.

E é sobre este engajamento que quero falar com você.

O engajamento representa o envolvimento do seu público com o seu conteúdo (não confunda com aprovação) e hoje, no Instagram, temos várias formas de medir e avaliar isso.

Antes o Instagram só nos dava como dados o número de curtidas e de comentários de uma publicação, hoje, temos muito mais informação.

Com uma conta comercial, você consegue avaliar quantas pessoas de fato viram um conteúdo seu, qual o número de vezes que o seu conteúdo apareceu na timeline do público, ainda temos também o número de curtidas e o número de comentários como parte desta análise.

Mas porque o engajamento é tão importante?

Quando você produz um conteúdo o que você mais quer é ser visto e que este conteúdo gere um convencimento, você quer vender algo, uma ideia, um serviço, um produto, um conceito… e, você precisa mostrar isso para o máximo possível de pessoas, mas precisa também que estas pessoas compreendam a sua mensagem e aprovem este conteúdo, ou, ao menos, se convençam dele.

Se você tiver um baixo alcance, significa que poucas pessoas visualizarão a sua foto, logo, menos pessoas poderão interagir com ela, ou seja, menos pessoas poderão ser convencidas da sua ideia.

Vemos então que, Alcance é uma métrica muito importante e faz parte para ajudar no engajamento. Entendendo este início vamos então para as dicas de hoje que te ajudarão a melhorar o seu engajamento.

1. Esqueça milhões de seguidores, apareça para quem você precisa.

Sim, eu falei que o alcance é importante, mas é preciso aparecer para as pessoas certas, do contrário, só aparecer não fará com que as pessoas se envolvam no seu conteúdo, pois elas não tem interesse por ele se não for o público do seu conteúdo. Então, primeiro, atraia o seu público-alvo, só assim você vai poder produzir algo que esteja realmente ligado a eles e terá mais chances de convencê-los da sua ideia.

Uma forma de você ampliar os seguidores é aparecendo para eles. Isso pode ser feito buscando por pessoas que tem relação com o que você faz e interagindo com elas, sim, interagir (seguir, curtir e comentar), quando se está começando, estes passos são fundamentais. Seguir pessoas que já interagem (principalmente as que comentam) é fundamental para gerar visibilidade do seu conteúdo.

Então, faça o seguinte:

a. Liste os perfis com conteúdos ou propostas de valor semelhantes a suas;
b. Siga as pessoas que comentam, principalmente estas, as fotos que são relacionadas ao que você também faz;
c. Curta algumas fotos que fazem parte dos seus valores enquanto marca (estabeleça este critério)

No momento em que você faz isso, você desperta o interesse do público (no mínimo a curiosidade) e elas vão ver o seu perfil, por isso ter bons conteúdos antes de fazer isso é tão importante. Nas relações humanas é semelhante, quando demonstramos interesse pelo outro, eles demonstram por nós (tem que ser genuíno).

2. Aumente o alcance do seu conteúdo.

O algoritmo do Instagram para entregar o conteúdo ainda é misterioso, mas algo que já sabemos é que conteúdos que recebem mais comentários tendem a gerar mais visibilidade, ou seja, quanto mais se engajarem no seu conteúdo, mais chances ele terá de ser visto (no Explorar, por exemplo) e assim melhorar a visibilidade do seu conteúdo.

Então, explore conteúdos que interajam e estimulem o comentário da sua audiência, melhorando seu alcance do conteúdo, a tendência é que você tenha mais engajamento.

3. Hashtags, não esqueça delas.

Sim, elas fazem a diferença no alcance dos conteúdos também, pelo menos em algum grau ainda. Mas não é qualquer hashtag e nem em qualquer quantidade. Este assunto também é polêmico e vou falar da minha experiência, testando diversas e em várias quantidades. Existem alguns grupos de hashtag que costumo usar e já vi gente com o mesmo pensamento.

Para exemplificar vou usar aqui como exemplo uma nutricionista:

a. Hashtag Geral: São aquelas que fazem parte da sua área de atuação: #Nutri, #nutrição, #alimentaçãosaudável etc…
b. Hashtag de Contexto: São as relacionadas ao conteúdo em si, que só estão lá por causa do que está no conteúdo postado. #Semlactose, #lacfree, ou tipos assim
c. Hashtags Personalizadas: São aquelas que você cria para indexar os seus conteúdos ou para categorizar aquilo que é seu ou faz parte do que você produz: #DicaDaNutriFulana, #ProjetoFulana, etc..
d. Hashtags de Localização: Em alguns casos, citar o local ou estar neste contexto pode ser interessante, seja citando como hashtag o nome da empresa, da cidade, estado, país… mesmo que você marque o conteúdo na geolocalização, usar algumas destas pode ser interessante.

A quantidade pode variar bastante, mas eu recomendo que se limite a no máximo 10 por conteúdo (não é regra, experimente).

4. Publique Conteúdo Relevante (para o seu público)

Esta parte até parece que é fácil de fazer não é? O que é relevante para o seu público afinal?

Aqui você terá que refletir um pouco para compreender melhor. Lembre-se, o conteúdo, quando se está vendendo algo, não dá para ser uma expressão única apenas do que você gosta e quer, até pode, mas precisa estar adaptado (seja no visual ou na linguagem) ao público que você quer convencer.

Então, lembre-se, quais as dores do seu público? O que ele espera de você? Como você pode ajudar o seu público, considerando o seu segmento?

Temos que lembrar também que a rede social é essencialmente um local de entretenimento, então, o seu posicionamento é importante para que deixe claro o que o público encontrará lá e então seguir com esta linha (enquanto for válida), como o seu conteúdo poderá ajudar/entreter/informar o seu público.

Definir esta linha te ajudará a organizar melhor o que publicar e como obter resultados também.

Pense em alguns pontos:

a. Tente ensinar algo para o seu público
b. Tente informar algo do seu segmento para ele
c. Entreter com conteúdos leves, sejam bem humorados ou que inspirem as pessoas

Algum destes posicionamentos, ou mesmo os 3 juntos, podem ser facilmente adotados.

É de fundamental importância acompanhar e observar o comportamento do seu público, esta observação e o aprendizado dela, gera mais retorno do que você imagina.

5. Use o Stories

Alguns gostam de chamar de “snapgram”, mas o fato é que manter este tipo de conteúdo sempre ativo ajuda a melhorar a sua visibilidade.

O conteúdo do Stories tem prioridade no layout da ferramenta, é o primeiro a aparecer e muitos dos usuários da rede social já passam mais tempo lá até do que olhando alguns conteúdos. Então, aproveite este comportamento e explore fazendo chamadas para conteúdos que você tenha feito.

Faça um post e depois conte sobre ele no Stories, mas crie uma estória diferente, converse, conte por que ele é bacana e diferente e pq vale a pena.

Mas lembre-se, seja relevante, não adianta ficar criando stories inúteis pois isso afastará sua audiência.

Resumindo…

Um bom engajamento varia de segmento para segmento e geralmente quanto maior o perfil mais difícil é de manter esta média alta. No geral calculamos esta taxa de engajamento somando o total de interações no perfil (curtidas e comentários) multiplicado por 100 e dividindo pelo total de seguidores, o percentual resultante é o percentual de engajamento do seu perfil.

Algumas ferramentas fazem isso automaticamente, eu recomendo algumas delas:

a. Iconosquare (pago)
b. Gabstats (gratuito)
c. Instagram Money Calculator (apenas para medir quanto custaria um post seu e o seu engajamento)

Esta conta já não é mais tão válida assim, já que seu conteúdo não aparece para todas as pessoas, então pense, como uma medida para avaliar quanto de alcance você tem hoje no seu perfil. Um Alcance satisfatório é de pelo menos 10%, ou seja, para cada 1000 seguidores que seu perfil tenha, cada publicação alcança pelo menos 100 pessoas.

Estas informações ficam todas apresentadas na conta comercial. Então, se quiser realmente avaliar melhor isso de forma profissional, converta seu perfil.

E aí, curtiu? Ficou com dúvidas? Pode perguntar aí nos comentários que ficarei feliz em responder.

Sucesso.

Facebook Comments
postStories

Como ter resultados com Stories em cada rede

Sim, agora temos Stories em todos os lugares.

Parece que nosso querido Mark por não ter conseguido comprar o snap, resolveu colocar o recurso dele em todas as suas redes sociais :)

Mas vamos entender tudo isso primeiro e saber como usar.

O recurso do Stories, que foi implantado no Instagram, migrou para o WhatsApp com o nome de Status, lá funciona de muito semelhante, mudando apenas alguns recursos, mas é basicamente o mesmo conceito de conteúdo instantâneo. Agora dentro do Messenger do Facebook, apenas no aplicativo móvel, o recurso também existe, mas com uma série de telas e recursos novos que podem fazer algumas pessoas que usam mais o facebook achar mais interessante de se utilizar.

Cada coisa no seu lugar

Costumo falar muito disso nos cursos que ministro, sempre ressaltando que cada rede tem um público e uma forma de se usar, então, é importante que você trabalhe conteúdos diferentes em cada lugar também. Se você fala a mesma coisa em todos os lugares por que eu vou te acompanhar em todos eles?

Mas o que temos visto por aí, desde o tempo em que o SnapChat estava com mais força é que, no geral, se utiliza o mesmo conteúdo em todos os canais e isso não é interessante.

Quem está no seu Instagram, veio por um motivo, que provavelmente é bem diferente de quem te acompanha no WhatsApp, que tem o seu contato lá por algum motivo e nem sempre está relacionado com o seu trabalho por exemplo, da mesma forma, quem está no seu facebook, também não.

Dica: Tente gerar conteúdos diferentes para cada canal, conforme a sua audiência, se você tem como objetivo engajar seu público com o que você faz. A proposta em ambas as ferramentas é expressar o seu dia, demonstrar o que você está fazendo de uma forma divertida, mas lembre-se principalmente que tipo de público está lá para receber aquele conteúdo, lembre-se do seu propósito naquela ferramenta.

Oportunidades usando Stories

Dentro do Instagram sempre sugiro que utilize bastante o stories, que é diferente de usar várias vezes :). O Stories te ajuda a dar visibilidade ao seu perfil, ajuda a ser encontrado e a direcionar seu público para algum conteúdo bacana que você fez, então, produzir conteúdo direto para o Stories ajudará bastante o seu perfil no instagram. Mas evite fazer conteúdos demais, geralmente o primeiro sempre terá um bom desempenho, se for interessante, vai atrair mais visibilidade para os próximos. Mas evite fazer muitos, isso vai cansar a sua audiência que não tem tempo sobrando para ver tudo o que acontece. Seja relevante.

No WhatsApp, se você trabalha vendendo algo, transforme ali em um canal de exclusividade, para que os que tenham o número da sua empresa/negócio, possam se sentirem privilegiados em ter um canal com conteúdo diferenciado, faça promoções, gere códigos promocionais ou vouchers apenas para quem visualiza o conteúdo do seus Status, isso vai gerar uma demanda pelo conteúdo e uma frequência no seu acesso.

No Facebook, por enquanto disponível apenas para perfis, logo, enquanto perfil, use com cuidado e avalie bem antes já que o seu perfil tem apenas pessoas interessada em você enquanto pessoa (ou não). Então, produzir conteúdo neste sentido precisa ser bem avaliado, de preferência, se você é profissional liberal e quer divulgar o seu trabalho, experimente ajudar as pessoas com dicas rápidas para que torne assim um canal a ser sempre buscado.

Bom, é isso, 3 plataformas, com público e comportamentos diferentes, exigem, mesmo para um recurso igual, conteúdos diferentes, seu conteúdo deve estar adaptado ao seu público e não apenas ao seu desejo de divulgar algo.

Mas e você, o que achou destas mudanças? O que acha de ter o recurso disponível em tantas redes assim? Deixa seu comentário.

Até a próxima.

Facebook Comments
postWhatsApp

Descubra novas oportunidades com WhatsApp

Em um país onde mais de 170 milhões de pessoas usam smartphones e destes, mais de 100 milhões utilizam o WhatsApp, não tenha dúvida, ali temos uma grande oportunidade.

Mas como sempre falo, vamos entender o comportamento primeiro.

Por que tantas pessoas preferem usar o WhatsApp?

É fácil, é leve, é intuitivo e o principal, te dá a liberdade que nenhuma outra ligação te permite. O fato de você responder quando e como quiser é ainda um fator de grande importância para muitas pessoas, logo, temos aqui um comportamento que teremos que levar em consideração se quisermos adotar o WhatsApp em nossa estratégia.

A pessoa prefere receber uma mensagem primeiro do que receber uma ligação. Ligar para alguém é quase um insulto em alguns casos. Mas muitas vezes isso pode gerar alguns problemas que precisaremos ficar atentos e abordo isso logo mais a frente.

Multimídia na comunicação

O WhatsApp além de um comunicador de texto, temos áudio, vídeo, imagens além da própria ligação de voz e vídeo também, ou seja, não faltam formas para conseguir se comunicar usando ele. Isso também é um fator que contribui bastante para a adoção da ferramenta.

Mas vamos ao que interessa…

“Ok, muita gente usa, mas como ele pode ser uma oportunidade de negócio para mim?” Bom a resposta disso será uma daquelas que vale para quase tudo na vida: depende. Depende de vários fatores aqui.

Você sabia que existem camelôs, que vendiam dvd pirata na rua e começaram a ganhar dinheiro criando grupos no WhatsApp de conteúdo? Exatamente isso! Pessoas pagam uma mensalidade (R$ 10,00) para que ele coloque nestes grupos conteúdos direcionados. Mensagens de bom dia para que possam ser compartilhadas, vídeos eróticos, piadas, vídeos engraçados e tudo mais o que você imaginar… Ou seja, virou um negócio. Faça as contas, em um grupo com mais de 200 pessoas, ele fatura R$ 2.000 por grupo, apenas distribuindo conteúdo que as pessoas já estão procurando… e você aí reclamando da vida? Soube de um caso onde um destes camelôs já tinha até 2 funcionários só para dar conta da demanda.

Já temos diversos grupos de bazar, trocas de produtos, exclusivos de classificados, enfim, uma infinidade de formas de fazer negócio usando o WhatsApp, algumas boas outras que mais geram dor de cabeça em todos os envolvidos.

Ok, você não quer fazer isso, você quer adaptar o WhatsApp ao seu negócio certo?

Vamos lá…

Lembre-se primeiro de que o WhatsApp é uma ferramenta de relacionamento, se você está lá sem querer se relacionar, mas apenas falar de você e vender está pensando errado. Lembra do camelô que virou infoprodutor no WhatsApp? Pois é, ele pensou primeiro em atender as demandas do público. Pense nisso também.

Atendimento, comece por aqui

Se você tiver estrutura para disponibilizar um whatsapp para atender o seu público e suas demandas, este pode ser um ótimo começo, atender as solicitações do seu público pode ser interessante (dependendo do negócio e do volume), isso te ajudará a mostrar seu interesse por ele (cliente) e poderá estreitar ainda mais sua relação, favorecendo então a oferta de novas oportunidades ao cliente.

Venda, é uma consequência

Vejo muitas empresas que pedem para as pessoas adicionarem o WhatsApp para dizerem o preço de um produto, depois de ter feito isso o cliente passa a receber, sem ter autorizado qualquer coisa, uma infinidade de imagens e ofertas de produtos, repito, do qual o cliente não pediu… isso só vai piorar a relação, acredite.

Se você atende bem no WhatsApp, criar abertura para uma boa conversa e tirar dúvidas, você encontrará portas abertas para realizar a oferta certa para aquele cliente.

Algumas oportunidades interessantes com WhatsApp

Crie um canal de relacionamento

Crie um canal onde o seu cliente pode falar diretamente com a empresa para tirar dúvidas, e saber de mais informações. Você poderá alimentar este canal para as pessoas que já te procuraram, portanto, pessoas que já estão interessadas no que tem a oferecer. Você pode usar o Stories neste caso, pois os contatos dali já são de pessoas que procuram por isso.

Crie um canal de conteúdo

Este mesmo canal de relacionamento, poderá ser usado para alimentar o seu cliente, segmente os seus contatos, identifique quem são e envie ofertas de acordo com os interesses dele, se bem organizado logo no início, fica muito ais fácil de fazer isso e o cliente se sentirá ainda mais bem atendido. Repito, neste caso, usar o Stories será ainda melhor, pois você poderá colocar conteúdos para visualização sem precisar ter mandar para cada contato. Informe por mensagens que terá promoções e conteúdos no Stories da loja, assim você não precisará criar várias mensagens de conteúdo para cada pessoa (mesmo que seja em uma lista de transmissão)

Canal de Exclusividade

Transforme o seu canal do WhatsApp em algo exclusivo, em algo que ele precise acompanhar. Promoções? Descontos? Cupons e vales-compra? Apenas pelo WhatsApp, isso fará com que o cliente tenha o desejo de participar deste seu canal. Além do que será ainda mais fácil de avaliar o impacto das suas promoções que são exclusivas de clientes desta rede.

Grupos? Cuidado.

Se você grupos para entretenimento, não vou falar nada, mas como negócio muito cuidado ao criar grupos. Lembre-se sempre, todos do grupo devem ter um objetivo em comum, outra coisa é todos ali terão acesso ao contato do outro, então grupo profissionais para gerarem networking tendem a funcionar melhor, mas colocar clientes dentro de um mesmo grupo, podem gerar vários problemas, sem falar que a maioria dos clientes nunca pediu para entrar em um grupo.

Listas de Transmissão? Repense.

Muita gente usa as listas de transmissão para passar notícias, informações e falar com várias pessoas ao mesmo tempo, mas um fato, ligado ao nosso comportamento, é que tendemos a ignorar mensagens que são para vários e não para nós. Se você recebe uma mensagem de alguém para você, esta terá um interesse para você em um certo nível, se você sabe que esta mensagem é a mesma para qualquer outra pessoa, ela já deixa de ter importância para você. Então avalie como usar e tente sempre segmentar as suas listas para torna-las o mais personalizadas e mais próximo possível de uma mensagem pessoal.

Bom, WhatsApp rende não é?

Já vou preparar outro conteúdo abordando mais oportunidades? Gostou, sim, não, talvez? Deixa seu comentário.

Facebook Comments
post-1-ano

O que aprendi em 1 ano como empreendedor

Na verdade 1 ano é apenas sozinho, mas já empreendo há um tempinho.

Quando larguei tudo na minha carreira profissional dentro do SENAC, não tinha a real noção do impacto que isso traria na minha vida. Desde 2012 eu venho empreendendo e aprendendo e sim, errando e acertando. Saí de uma carreira “estável” para me arriscar em algo que não sabia bem o que seria, apenas que era exatamente o que eu gostaria de fazer.

Olha que bonito, largar tudo o que está fazendo para ir atrás do seu sonho de trabalhar fazendo aquilo que se gosta né?! É, é bonito, mas não tão bonito assim como te vendem.

Empreender não é fácil.

Empreender não é trabalhar só na hora que se quer.

Empreender não é não ter patrão.

Empreender não é ter férias sempre que quiser.

Empreender é trabalhar para você mesmo, isso, o que você faz é para você.

Este foi o fator que mais me motivou, trabalhar para construir algo para mim, mesmo que na época eu nem soubesse o que eu iria construir ainda rsrs.

Não quero desestimular quem está tentando empreender, pelo contrário, acredito realmente que esta possa ser uma solução para alguns, mas não para todos. Se você quer empreender você terá que abrir mão de muita coisa. Você terá que se organizar muito mais do que já organizado, terá que se controlar financeiramente, terá que aprender coisas que não gosta e se aprofundar ainda mais naquilo que já sabe, mas te digo, agora sim, com experiência, vale a pena…

Glebe mas e os clientes? Você vai atrás deles.

Glebe, mas e as garantias no final do mês? Como sempre digo, nesta vida não temos garantias, apenas oportunidades.

Sim, é assim, é acordar todos os dias já sabendo onde se deve ir para se conseguir o que se quer, é se planejar muito mais do que já se planejou, é pensar todos os dias em quais serão os passos seguintes… para alguns isso é assustador, para outros, como eu, é desafiador e motivador.

Então, para não mais me alongar eu deixo aqui as minhas ultimas palavras:

Pense e repense várias vezes antes de largar tudo para começar a empreender. Se puder começar em meio período é uma possibilidade, mas nunca terá o mesmo resultado se você não estiver 100% focado em você. Se organize, planeje, quantos mais melhor. Se organize financeiramente, nem sempre o retorno chegará na hora que você quer. Se organize. Se organize. Se organize.

Ter um mentor poderá te ajudar, alguém na sua área que te inspire e oriente em algumas situações. Lembro-me do meu tempo de SENAC, quando falava com Fred Alecrim e ele me dizia “Glebe, as vezes para chegarmos a um patamar maior precisamos dar saltos, quando estamos presos não conseguimos dar estes salto, é preciso se soltar primeiro e só então saltar, mas você não tem garantia de que vai alcançar, apenas de que só terá chances se estiver solto”, bom, assim o fiz.

Ter o apoio da sua família e companheiros é fundamental também.

Bom, fica aqui meu desejo de sucesso para quem quer buscar este caminho.

Vai, que as coisas vem. 

 

Facebook Comments
photo-1454473332662-09275b52e5a1

Não sabemos usar as mídias sociais

Como hoje perdemos oportunidades por replicarmos os conteúdos sem observar as particularidades de cada mídia social. Esquecemos de observar os comportamentos e repetimos o mesmo conteúdo, do mesmo jeito em cada local. Vamos discutir sobre isso?

Facebook Comments
parceiros

Porque nesta vida, ninguém cresce sozinho.

Facebook Comments